Feira Nacional do Livro chega à 18ª edição e reúne mais de 250 atividades culturais

Um dos maiores eventos culturais do país, a Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto completa 18 anos e acontece entre os dias 20 a 27 de maio de 2018. Com o tema “As Histórias que os Livros Contam e as Leituras que a Gente Faz”, a programação conta com atividades gratuitas entre salões de ideias, conferências, sessões Clássicos da Minha História, palestras, mesas-redondas, oficinas, shows, espetáculos infantis, performances, contações de histórias, entre outras

Ribeirão Preto (SP), 27 de abril de 2018 – Uma mistura de reflexão, debate em torno dos livros e da vivência da leitura e troca de experiências entre leitores e escritores é o que a cidade de Ribeirão Preto e toda a região vão vivenciar com a chegada da 18ª edição Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, que acontece entre os dias 20 a 27 de maio. Já consolidada como um dos maiores eventos culturais do país, a feira traz neste ano uma programação com cerca de 250 atividades gratuitas e abertas para toda a população.

Nomes como Fernanda Takai, Ignácio de Loyola Brandão, Alice Ruiz, Mario Sergio Cortella, César Nunes, Cristovão Tezza, Eliane Brum, Elisa Lucinda, Zuenir Ventura, Florestan Fernandes Jr., Fernando Bonassi, Renato Janine Ribeiro, Mary Del Priore, Renan Inquérito, Lázaro Ramos, Luiz Ruffato, Viviane Mosé e ainda shows de Patu Fu e Verônica Ferriani são alguns dos destaques do evento.  A programação completa pode ser acessada no site da Fundação: https://goo.gl/Cps3fb.

Com o objetivo de promover um verdadeiro movimento cultural através do tema “As Histórias que os Livros Contam e as Leituras que a Gente Faz”, a Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto busca criar uma interação e proximidade maior com o seu público. A ideia é apresentar as histórias que marcaram a vida de muitos leitores. A proposta, segundo a presidente da entidade e curadora do evento, Adriana Silva, “é revelar ao público presente os enredos que se guardaram no baú das memórias, mas que provocaram mudanças de fato”, expressa.

Neste ano, a programação não só lança diversas novidades, como as Sessões Clássicos da Minha História, conferências com o tema da feira baseadas em livros clássicos e espetáculos musicais inéditos, como também valoriza atividades que são conhecidas pelos participantes, como os salões de ideias, contações de histórias, palestras, oficinas, performances, entre outras. “Preparamos uma programação bem variada, com atrações para todos os públicos e idades, o que traz grandes estrelas da literatura nacional para Ribeirão Preto”, explica Adriana.

Palavras combinadas

Uma das atrações que ganha ainda mais destaque nesta edição é o Combinando Palavras, projeto promovido pela Fundação do Livro e Leitura em parceria com a Diretoria de Ensino e o Sesc. O projeto oferece aos estudantes a possibilidade de terem contato com a obra de grandes escritores nacionais e ainda encontrá-los pessoalmente durante a feira. Neste ano participam 7 mil estudantes de 14 cidades. Os autores escolhidos para o projeto e presentes na feira são Alice Ruiz, Cristovão Tezza, Eliane Brum, Elisa Lucinda, Fernando Bonassi (para a rede estadual de ensino); Mariana Colasanti para os estudantes do ensino municipal e ainda Pedro Bandeira para o Projeto Educandário.

Para participar do encontro com os autores, os alunos vêm munidos com trabalhos, homenagens, presentes, apresentações teatrais e musicais, declamação de poesias e muitas perguntas. Tudo isso é preparado antes. Os estudantes passam por um tra­balho de formação de leitura em sala de aula e em atividades extras durante o primeiro trimestre do ano letivo, com apoio de seus professores que recebem formação adequada em oficinas oferecidas pela Fundação. “Contribuímos com a formação dos professores e oferecemos um material de apoio e sugestões de obras destes escritores, bem como de dinâmicas de estudos com os alunos”, explica a superintendente da Fundação do Livro e Leitura, Viviane Mendonça.

A presidente da Fundação, Adriana Silva avalia que, com o Combinando Palavras, a entidade migrou, definitivamente, da base da difusão para formação de leitores e pretende consolidar esse papel. “Neste ano, os números e propósitos do projeto foram mantidos, mas estamos certos que entramos numa fase de transformação.

Assim podemos afirmar que Ribeirão Preto é uma cidade que eleva a quantidade de leitores do nosso país”.

Para Mauro Jensen, gerente do Sesc Ribeirão Preto (parceiro cultural da feira), o resultado esperado é que o proje­to realmente contribua para a formação de leitores e estimule a curiosidade dos jovens pela literatura. “Trata-se de um projeto que mobiliza professores e estudantes em torno da literatura”, explica. Para Mauro, independente do crescimento dos números de leitores que o projeto consiga contribuir, interessa ao Sesc SP pensar na qualidade do que se lê.

A diretora da Regional de Ensino de Ribeirão Preto, Simone Maria Locca, ressalta que o projeto oferece conhecimento extra aos alunos. “Temos que dar valor àquilo que está dando certo”, conclui.

Ribeirão-pretano lê mais

A antiga vontade da Fundação do Livro e Leitura de ampliar os números de leitores do país, agora já se consolida em dados estatísticos. A entidade anunciou recentemente os resultados da pesquisa Perfil do Leitor de Ribeirão Preto e surpreendeu com um fato: o ribeirão-pretano lê mais que o restante dos brasileiros. A média de leitores detectada pelo estudo é de 67%, enquanto a última média registrada em 2015 pela pesquisa de âmbito nacional Retratos da Leitura no Brasil foi de 56% (estudo publicado em 2016 pelo Instituto Pró-Livro e IBOPE Inteligência).

A pesquisa Perfil do Leitor de Ribeirão Preto foi realizada pela Fundação do Livro e Leitura e coordenada pela Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) – por meio do CIC (Centro de Informação e Comunicação), sob supervisão da professora Daniela Tincani, com apoio do programa Agentes de Leitura da Secretaria Municipal da Cultura (Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto).

Foram desenvolvidas duas pesquisas (uma geral na cidade e outra específica para o público da feira – com análise comparativa dos dados). A metodologia utilizada para os estudos foi a quantitativa, com abrangência regional na cidade de Ribeirão Preto e também com pessoas de outras cidades – no caso dos frequentadores da feira. Segundo a professora Daniela Tincani, o objetivo foi conhecer o perfil do cidadão de Ribeirão Preto em relação à leitura. “Buscamos detectar seus hábitos e preferências sobre livros, gêneros e autores”, explica. A presidente da Fundação do Livro e Leitura ressalta que o índice de leitor da cidade já é exemplo para o resto do país. “Acreditamos que, de fato, através da feira e de programas de incentivo à leitura, estamos transformando a nossa realidade”, complementa Adriana.

Homenageados da 18ª Feira Nacional do Livro

País: Uruguai

Um traço marcante do leitor uruguaio é o gosto por histórias em quadrinhos que, muitas vezes, misturam humor e fantasia com crítica social – característica que está no DNA dos grandes escritores do país, como o modernista José Enrique Rodó (1871-1917).

Na poesia, nomes como Juan Zorrilla de San Martín, Juana de Ibarbourou, Delmira Agustini, Idea Vilariño, engrossam a lista de notáveis. O mais conhecido escritor contemporâneo é Eduardo Galeano, autor de As Veias Abertas da América Latina e da trilogia Memória do Fogo. Outros nomes da literatura moderna incluem Mario Levrero, Sylvia Lago, Jorge Majfud e Jesús Moraes.

País pequeno dotado de muito charme, o Uruguai fica na parte sudeste da América do Sul e possui uma população de cerca de 3,5 milhões de habitantes. Do ponto de vista econômico, trata-se de um dos países mais desenvolvidos da América do Sul.

Escritor: Sérgio Buarque de Holanda

Sérgio Buarque de Holanda nasceu em São Paulo (capital) e viveu entre 1902 e 1982. Foi historiador, crítico literário, jornalista e professor, mas sua vida foi dedicada ao trabalho acadêmico na Universidade de São Paulo. Autor do clássico Raízes do Brasil, obra que revolucionou a historiografia e as ciências sociais. Viveu grande parte de sua vida no Rio de Janeiro, onde se casou e teve sete filhos, entre eles os músicos Chico Buarque de Holanda, Cristina Buarque e Heloísa Maria (Miúcha).

Homem de muitos títulos assumiu, em 1939, a direção da Seção de Publicações do Instituto Nacional do Livro. Em 1941 foi para os EUA e atuou como professor em universidades. Em 1946, assumiu a direção do Museu Paulista. Nos anos 50 residiu em Roma e atuou na Universidade de Roma. Em 1957 publicou Caminhos e Fronteiras. Foi professor convidado de universidades no Chile e nos Estados Unidos. Recebeu os prêmios: Edgard Cavalheiro do Instituto Nacional do Livro, o Juca Pato e o Prêmio Jabuti de Literatura.

Autor educação: Antonio Candido

Antonio Candido (1918-2017) foi um intelectual comprometido com as questões do Brasil e atuou como sociólogo e professor da USP. Para Candido, “só é possível desvendar as proposições de uma obra literária ou artística através do olhar atento aos fatores históricos da sociedade”. O intelectual ficou conhecido como um dos principais pensadores ligados aos estudos sobre a formação do Brasil, inaugurados entre os anos 30 e 40 por Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Júnior. É autor de obras fundamentais como Formação da Literatura Brasileira (1959) – livro que trata dos momentos decisivos da formação do sistema literário brasileiro – e Os Parceiros do Rio Bonito (sua tese de doutorado em Ciências Sociais).

Autora Infantojuvenil: Marina Colasanti

Marina Colasanti nasceu em 1937, em Asmara, capital da Eritréia. Residiu em Trípoli, depois na Itália e em 1948 veio para o Brasil. Com formação em Artes Plásticas, ingressou no Jornal do Brasil, dando início à sua carreira de jornalista. Trabalhou com televisão e com publicidade. Seu primeiro livro data de 1968. Hoje são mais de 60, de poesia, contos, crônicas, livros para crianças e jovens, ensaios – muitos ilustrados por ela mesma. É detentora de sete prêmios Jabuti; do Grande Prêmio da Crítica da APCA; de dois Melhor Livro do Ano, da Câmara Brasileira do

Livro; do prêmio da Biblioteca Nacional para poesia; de dois prêmios latino-americanos. Foi o terceiro prêmio no Portugal Telecom. Depois de muitas vezes premiada, tornou-se hors concours da Fundação Nacional do Livro  Infantojuvenil.  Traduzida  em várias línguas, sua obra é tema de numerosas teses universitárias.

Autor local: Camilo Xavier

O escritor Camilo Xavier tem na poesia sua veia artística mais expressiva. A produção poética surgiu na maturidade, pois outra vocação desenhou sua trajetória profissional:é doutor em Medicina, médico ortopedista, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi professor titular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP).

É um dos coordenadores do Projeto Ribeirão Cultural Poesia na Vida e para a Vida, membro da Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto e da Academia Ribeirãopretana de Letras, das quais foi presidente, membro fundador da Academia de Ciências de Ribeirão Preto e autor do projeto Arca Cultural, lançado em parceria com a Escola Estadual Otoniel Mota. Entre seus livros estão Fugas Cronológicas, Trilhas e Travessias, Alcance, Volterra, Espiral, Alvoroço, 88.com.

 Professora homenageada: Heloisa Martins Alves

Natural de Ribeirão Preto, Heloisa Martins Alves é professora de língua portuguesa e literatura portuguesa e trabalha com artes visuais e na formação de professores. Autora de três livros: Luzes de Neon, Incubadora Cultural e Construção Literária, Artes Visuais e Documentação.

Em sala de aula, sempre procurou despertar em seus alunos o interesse pela leitura. Foi uma das criadoras do Combinando Palavras, assumindo sua coordenação dentro da Escola Estadual Otoniel Mota. No ano passado, ela tornou-se curadora do projeto.

Patrono: Sérgio Roxo da Fonseca

Sérgio Roxo da Fonseca possui graduação em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1963), mestrado em Direito pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993) e doutorado em Direito pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001). Livre docente, foi professor universitário e tem vasta experiência na área de Direito. Procurador da Justiça aposentado.

Realização


O Ministério da Cultura, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, Alta Mogiana, GasBrasiliano e Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto apresentam a 18ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto com Patrocínio Ouro Alta Mogiana – Açúcar, Etanol e Energia e Gás Brasiliano.  Patrocínio Prata Ambient, Centro Universitário Estácio de Ribeirão Preto, Grupo São Francisco e Savegnago Supermercado. Patrocínio Bronze Grupo Maubisa, Pedra Agroindustrial e Ribeirão Shopping  Patrocínio  ACIRP – Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto, Madeiranit, Passalacqua e  Via Brasil Seminovos. Instituição Cultural Parceira SESC – Serviço Social do Comércio. Parceiro Cultural Fundação Dom Pedro II e Theatro Pedro II, Immaginare Escola de Criação e Design, Santa Helena, Senac –  Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, SESI – Serviço Social da Indústria, Grupo Thathi de Comunicação e Unaerp – Universidade de Ribeirão Preto. Apoio Cultural  Centro Universitário Barão de Mauá, Centro Universitário Moura Lacerda, Estevan Soares, Heurys Tecnologia, Monreale Hotel – Ribeirão Preto, NW3 Comunicação, Verbo Nostro Comunicação Planejada, EPTV, Jornal A Cidade, Rádio CBN, G1 e A Cidade On. Apoio Secretaria Municipal da Cultura, Secretaria Municipal da Educação, Teatro Municipal de Ribeirão Preto, Centro Cultural Palace, Diretoria de Ensino Região de Ribeirão Preto, Câmara Municipal, Biblioteca Altino Arantes e Fundação Educandário, Colégio Marista, Biblioteca Padre Euclides, Colégio Auxiliadora, OAB, Sincovarp-Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto, Macboot, Usina São Martinho, Grupo Utam, IPCCIC – Instituto Paulista de Cidades Criativas e Identidades Culturais, Ribeirão Preto Film Comission, Recicla Bytes, Coderp, Daerp, Transerp, Corpo de Bombeiros, Guarda Civil Municipal e Polícia Militar. Realização Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Prefeitura Municipal, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Ministério da Cultura, Brasil – Governo Federal.

Sobre a Fundação

A Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos. Trata-se de uma evolução da antiga Fundação Feira do Livro, criada em 2004, especialmente para realizar a Feira Nacional do Livro da cidade. Hoje, é considerada a segunda maior feira a céu aberto do país.  Com uma trajetória sólida e projeção nacional e internacional, a entidade ganhou experiência e, atualmente, além da Feira, realiza muitos outros projetos ligados ao universo do livro e da leitura com calendário de atividade durante todo o ano. A Fundação se mantém com o apoio de mantenedores e patrocinadores, com recursos diretos e advindos das leis de incentivo, em especial do Pronac e do Proac.

 Atendimento à Imprensa

Verbo Nostro Comunicação Planejada – (16) 3632-6202 / 3610-8659
Jornalistas responsáveis:
Luciana Grili (16) 99152 2707 (luciana@verbo.jor.br)
Andrea Berzotti (16) 99138 6185 (andrea@verbo.jor.br)
Valter Jossi Wagner (16) 99152 2700 (valter@verbo.jor.br)
Colaboração: Juliana Castro,  Alessandra Rotolo e Julio Fontes (redação@verbo.jor.br  ou pauta@verbo.jor.br)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s