Confira a 3ª edição

Um projeto de sucesso!

Pesquisa aponta que alunos participantes do Combinando Palavras demostram mais interesse pela leitura

Levantamento feito pela Unaerp, em parceria com a Fundação do Livro e Leitura, durante a 19ª edição da Feira do Livro de Ribeirão Preto (realizada em junho deste ano), constatou que maioria dos alunos envolvidos no Combinando Palavras leram algum livro nos últimos três meses. Confira o resultado dessa pesquisa e o vídeo oficial desta 3ª edição do projeto, que reuniu mais de 8 mil estudantes de 92 escolas de Ribeirão Preto e de mais 136 cidades da região metropolitana

Ter contato com uma obra literária, viajar pelos caminhos do texto e incorporar a mensagem extraída da leitura para o repertório cultural. E mais: aprender a desvendar a linguagem dos escritores e depois ter a oportunidade de conhecê-los pessoalmente. Essas são algumas das conquistas dos leitores em formação que participaram do “Combinando Palavras”, em Ribeirão Preto (SP), durante a 19ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, realizada de 9 a 16 de junho. Para avaliar o desempenho e resultados do projeto, a Fundação do Livro e Leitura e a Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) realizaram uma pesquisa com professores e alunos envolvidos neste ano. O resultado trouxe indicativos positivos para a coordenação da iniciativa, entre eles, o fato de que os estudantes passaram a ler mais após participarem da vivência. A pesquisa detectou que 96% dos participantes leram algum livro nos últimos três meses.

Na percepção dos docentes participantes, os alunos passaram de nenhum ou pouco conhecimento sobre os autores lidos a algum conhecimento sobre o autor.  Constatou-se ainda, segundo os docentes, que os alunos gostavam ‘mais ou menos’ de ler livros antes de se envolverem na proposta do Combinando Palavras e, depois, passaram a gostar muito.

Foram aplicados 227 questionários com alunos de 58 escolas: 69,2%, do gênero feminino, e 30,8% do gênero masculino, com idades entre 14 e 17 anos. A maioria dos entrevistados foi de alunos (81,9%) e 18,1% de professores envolvidos.

A pesquisa foi desenvolvida por alunos voluntários do curso de Publicidade e Propaganda da Unaerp e voluntários da Feira do Livro, sob supervisão dos professores Daniela Tincani e Renato Campos.

Para a professora Daniela Tincani, os dados mais significativos foram as médias ponderadas das percepções dos alunos e dos docentes, pois foi possível identificar mudanças e o aprendizado antes e depois da participação deles. “Foi muito gratificante saber que 96% são considerados leitores de livros, que estão satisfeitos com o projeto e, que de algum jeito, se envolveram”.

A professora destaca ainda que durante a pesquisa foi possível perceber o entusiasmo dos professores em integrar seus alunos ao Combinando Palavras. “Só eles sabem das dificuldades e das alegrias que os alunos passaram até chegar o momento da apresentação”.  Daniela acredita que o projeto proporciona uma mudança de visão tanto para os alunos quanto para os docentes. “Pelos depoimentos, nota-se que eles aumentaram o gosto pela leitura de livros e mudaram sua forma de pensar ou refletir”, conclui.

Adriana Silva, curadora da 19ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto e vice-presidente da Fundação do Livro e Leitura avalia que o estudo é muito importante para as diretrizes da Fundação, já que através dos dados é possível validar algumas estratégias para o Combinando Palavras. “A partir dos resultados nós conseguimos propor revisões no sentindo de uma aproximação cada vez maior com os outros envolvidos, sejam os professores, a própria rede de ensino ou mesmo os estudantes”, explica.

Lucas Molina, gerente adjunto do Sesc Ribeirão Preto, instituição parceira do “Combinando Palavras”, destaca que todas as ações desenvolvidas para a Feira do Livro reforçam o trabalho das instituições culturais e sociais como o Sesc – no sentido de possibilitar uma sociedade mais igualitária e cidadã. “Ampliar o contato dos visitantes da Feira com o livro e literatura e apresentar novos hábitos culturais é um êxito do evento e dos desdobramentos provocados ao longo do ano, já que entendemos o trabalho da Fundação como algo vivo, permanente e transformador”, destaca. Para ele, é motivo de comemoração a permanência do evento que completou nesta edição 19 anos. “Com esta magnitude e a preocupação de realizar uma pesquisa, podemos aprimorar ano a ano nossas ações frente aos diversos públicos que atendemos”, diz.

Alcance cultural

Este foi o terceiro ano de realização do “Combinando Palavras”. Nesta edição, o projeto seguiu as diretrizes do tema da 19ª Feira do Livro: “Entre Uma História e Outra, Uma Nova História – Um Mundo Melhor para Todos. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”. 

O projeto, que é uma realização da Fundação do Livro e Leitura em parceria com o SESC, a Diretoria de Ensino – Região de Ribeirão Preto, Secretaria da Educação, Educandário e Etec, atraiu neste ano mais de 8 mil estudantes, sendo 5 mil de escolas estaduais e particulares, 2 mil da rede municipal de ensino, 500 do Educandário e 500 da Etec – seguindo o modelo padrão já implementado nos anos anteriores. Participaram 92 escolas, sendo instituições de Ribeirão Preto e mais 13 cidades da região metropolitana.

Os autores escolhidos para serem lidos com encontro marcado com alunos do ensino médio da rede Estadual de ensino foram: Sérgio Vaz, Marçal Aquino, João Anzanello Carrascoza e Estrela Leminski. Já os estudantes das escolas da rede Municipal tiveram contato com as obras da autora infantojuvenil homenageada, Heloisa Prieto. O autor Renan Inquérito foi apresentado aos alunos da Etec José Martimiano da Silva. Marcelino Freire foi o autor direcionado para alunos de escolas particulares da cidade e região. Ignácio de Loyola Brandão, escritor homenageado pela Feira do Livro, foi inspiração para leitura e produção de trabalhos criativos por estudantes do Educandário e ainda por todos os envolvidos no projeto Recortando Palavras, que foi novidade neste ano e oferecido para mais mil alunos do 9º ano da rede estadual de ensino. 

Adriana Silva explica que a Fundação do Livro e Leitura manteve o compromisso de oferecer atividades literárias de formação aos estudantes da rede pública de ensino para só depois eles interagirem com autores durante o evento. “O Combinando Palavras possibilita aos alunos um conhecimento e percepção sobre a obra de cada autor escolhido”, apresenta.

Os professores também passaram por atividades de formação e levaram dinâmicas com um aprendizado específico para as salas de aulas, que visaram despertar o gosto pela leitura. “Essa oportunidade do contato mais próximo com escritor durante a Feira é inesquecível para os alunos. É uma vivência que realmente transforma estes novos leitores”, avalia Adriana Silva.

Para a curadora da Feira, a leitura e o encontro com o autor enriquecem muito a possibilidade de sociabilidade dos estudantes. “Essa bagagem de histórias e conhecimentos que os alunos adquirem com o projeto colaboram também para a socialização, permitindo que cada um deles esteja inserido no debate de ideias”.

Lucas Molina complementa que os alunos da região têm na Feira do Livro uma oportunidade ímpar de vivenciar a literatura por meio das experimentações e vivências que extrapolam o livro. “Tal caminho possibilita uma trama nova de aprendizados e de conexões que podem, ao longo dos anos, formar gerações de leitores apaixonados pela palavra escrita e todas as possibilidades que esta apresenta na vida”. O gerente do SESC avalia que, projetos como o Combinando Palavras são exemplos de formas inovadoras na aproximação do público escolar, dos textos literários e das conexões infinitas do livro com o cotidiano escolar.

Vídeo

Para fechar as atividades do projeto neste ano e se preparar para a próxima edição de 2020, lançamos o VT (vídeo institucional) do “Combinando Palavras”, executado durante a 19ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto.

Confira!